O que consumir

O que consumir


Na hora de ir às compras é que a coisa se complica. Parece que de um momento para o outro esquecemos todos os alimentos existentes na terra e parece que só existia carne e peixe nas nossas vidas. Calma, é mais fácil do que parece. A app que falei, Daily Dozen, fornece informação preciosa sobre o que devemos comer e respectivas quantidades mas também pode ser uma ferramenta útil na hora de ir abastecer o frigorífico e dispensa. Para me ajudar a fazer uma escolha variada e de qualidade eu reduzi as minhas compras a 3 grupos, Vegetais/fruta, mercearia e outros.

  • Vegetais e frutas:

Queremos ter a certeza que diversificamos bastante. Na parte dos vegetais devemos comprar crucíferas como os brócolos, a couve-flor ou as couves de Bruxelas. Vegetais de folha verde como espinafres, couve, acelgas, etc. E depois os básicos como cebola, cenoura, tomate, alho, nabo, rúcula, alface e por aí a fora. Cogumelos é um dos meus ingredientes secretos e é na zona dos frescos que eu os encontro. Na fruta, optar pela variedade e qualidade e ter sempre frutos vermelhos. Como nem sempre consigo armazenar fruta vermelha suficiente para me dar para todo o ano, eventualmente posso optar por fruta vermelha congelada e embalada. Eu sei, vem em saco mas existem outras embalagens bem mais dispensáveis e podem descartar essas da lista de compras. Outro exemplo são as couves de Bruxelas que geralmente também compro ultra-congeladas.

Aromáticas frescas é sem dúvida algo que faz parte da minha cozinha. Coentros, salsa, cebolinhos, endro…

Fruta desidratada, sementes (nunca pode faltar sementes de linhaça) e frutos secos também fazem parte da minha lista de compras. Eu sei que são caros mas eu por exemplo, prefiro ter este tipo de alimentos que são muito mais versáteis que ter iogurtes, natas ou bebidas vegetais de compra.

  • Mercearia:

Cereais devem fazer parte da nossa alimentação e aqui existe imensa escolha. Os alimentos integrais são mais caros, é uma verdade, mas eles saciam-nos por muito mais tempo e têm um valor nutricional superior, por isso devemos optar sempre que possível por eles. No entanto a minha dispensa não é feita de cereais integrais tenho também refinados e existem técnicas para aumentar o valor nutricional de um alimento refinado, clica aqui. Fazem parte deste grupo outros alimentos bem conhecidos como as massas, farinhas e outros cereais como a aveia e ainda existem os pseudocereais como o amaranto a quinoa ou o trigo sarraceno.

Leguminosas, feijão, grão, lentilhas e de preferência tudo seco para demolhar mas se a vossa vida não permite, usem as que já estão prontas para consumo.

Azeite virgem extra, sempre. E para fritar uso o óleo de amendoim.

Especiarias são muito importantes pois são elas que vão conferir sabor aos nossos pratos e contribuir com o seu valor nutricional e propriedades medicinais.

  • Outros:

Neste eu incluo produtos que costumo comprar mas não por sistema como é o caso do tofu, seitan, temph e algas.


Alimentos para levar uma alimentação equilibrada não faltam mas por favor, não entrem em exageros com a história dos “super alimentos”. Todos os alimentos são super e todos eles desempenham um papel especifico. Optem sempre pelo local e da época para garantir uma melhor qualidade a baixo preço.

Se tiverem hipótese comprem a granel pois assim contribuem também para diminuir a vossa pegada ecológica mas se não tiverem hipótese não pensem que estão a falhar. Cada um dá o melhor de si e nem todos podemos contribuir de igual modo.

Outra questão é os alimentos biológicos. É claro que esses devem ser a preferência mas se não conseguirem podem sempre lavar bem, pelos vistos retira uma boa parte dos pesticidas. Podemos também contar com as propriedades medicinais dos alimentos no nosso organismo.